INFRAESTRUTURA
Por: Melissa Bulegon - MTE 11.607
01.11.2018 - 18h:42min
Sossella destaca concessão de rodovias federais com pedágio com tarifa a R$ 4,30
Sossella durante visita do ministro do TCU ao Estado (Foto: Wilson Cardoso/Arquivo)
O Grupo CCR, maior concessionária de rodovias do Brasil, venceu nesta quinta-feira (1º) o leilão para a concessão das rodovias federais no Rio Grande do Sul com a tarifa básica do pedágio a R$ 4,30, um valor 40,53% mais baixo do que o teto estipulado no edital. O contrato será assinado no dia 9 de janeiro e terá duração de 30 anos.

A Rodovia de Integração do Sul (RIS) compreende as BRs 101, 290, 386 e 448, no Estado. “Como coordenador da Frente Parlamentar pela Duplicação da BR-386 e como ex-presidente da CPI dos Pedágios, a gente destaca esta concessão porque nós defendíamos a duplicação, mas também precisávamos ter o cuidado de não ter tarifas elevadas”, considerou o deputado estadual Gilmar Sossella.

Como coordenador da Comissão de Representação Externa da Assembleia Legislativa que acompanhou a questão dos pedágios no Estado, o deputado participou desde o início do processo de concessão fazendo apontamentos nas audiências públicas ou intermediando audiências em Porto Alegre e Brasília com representantes da Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT), Tribunal de Contas da União (TCU), Ministério dos Transportes, Portos e Aviação Civil, prefeituras, associações e lideranças.

“Esta conquista é fruto da luta da organização civil, que se mobilizou e possibilitou a realização de quatro audiências a mais que estavam previstas pela ANTT para discutir o assunto. A ida do ministro do TCU Bruno Dantas e de técnicos do órgão ao Rio Grande do Sul, intermediada por nós, também foi fundamental na elaboração desta concessão, tanto que isso tudo resultou na confirmação de R$ 1,8 bilhão a mais em investimentos”, analisou.

A partir da assinatura do contrato, a empresa terá um mês para iniciar a recuperação das estradas e das praças de pedágio. “Depois de uma experiência nada salutar com a concessão de rodovias no nosso Estado, a gente vê com bons olhos a boa nova de termos pedágios ao valor de R$ 4,30 que irão garantir a duplicação de mais de 220 km nos 30 anos de concessão, entre outras obras que serão executadas”, completou.

O futuro concessionário terá que fazer investimentos da ordem de R$ 7,8 bilhões. Durante o prazo de concessão, ele será responsável pela exploração da infraestrutura e prestação do serviço público de recuperação, conservação, manutenção, operação, implantação de melhorias e ampliação de capacidade dos 473,4 quilômetros.

O LEILÃO - Realizado na Bolsa de Valores de São Paulo, o leilão recebeu cinco propostas de empresas interessadas na primeira concessão rodoviária do Programa de Parcerias de Investimentos (PPI) do governo federal.

A primeira proposta foi da empresa Ecorodovias Concessões e Serviços S.A com uma oferta de tarifa de R$ 4,55941. Em seguida foi o Consórcio Sacyr RIS com um lance de R$ 5,25389, e, depois da empresa Infraestrutura Brasil Holding II S.A, representada pela MIrae Asset Wealth Management, com lance de R$ 4.43570 e por último, o pronente Consorcio Integrasul com um valor de R$ 5,27000.